Quando The Intercept Brasil ficou online pela primeira vez, no dia 2 de agosto, Glenn Greenwald escreveu que “a sede por um jornalismo mais independente, pluralístico e destemido vai além da crise política pela qual passa o país”. Nesses pouco mais de quatro meses, nosso trabalho foi cobrir uma variedade de assuntos que passam por racismo, educação, armamento, economia, direitos trabalhistas, abuso de privacidade na internet, feminismo, meio ambiente e, claro, a crise política em Brasília.

Paralelamente, também publicamos artigos sobre como todas essas abordagens passam ao largo da cobertura da mídia tradicional. Agradecemos a todos que acreditam na força da mídia independente e que acompanharam nosso trabalho nos meses iniciais, lendo e compartilhando nossas matérias. Esperamos que, em 2017, retornem a nos contemplar com sua atenção.

Selecionamos aqui 12 matérias de destaque. Recomendamos aos nossos leitores para que se prepararem para 2017. Não são textos que trarão exatamente um otimismo sobre o ano que está por vir, mas com certeza servem para afiar a visão crítica de cada um acerca de pontos que, acreditamos, refletem a realidade brasileira em toda sua peculiaridade.

Com eles revigoramos, sim, as forças para continuar com um jornalismo destemido, contestador e independente. Em um momento de tamanhas incertezas sobre o futuro do Brasil e do mundo, saber que temos leitores assíduos, críticos e com opinião própria confirma que — ao contrário de que muitos pregam — o jornalismo vive.

1_ Turistas podem ser escravocratas por um dia em fazenda “sem racismo”

Se você desejar ser servido por uma pessoa negra vestida como escrava em pleno 2016, você pode visitar, por exemplo, na Fazenda Santa Eufrásia, em Vassouras, única fazenda particular tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (Iphan-RJ) no Vale do Café.

As pessoas que passam um dia descontraído nessas senzalas e casas grandes teriam coragem de pegar um trem na Polônia, rumo a Auschwitz, dividindo o assento com atores judeus sorridentes fantasiados de seus ancestrais?

Igor170514__3625

Se você desejar ser servido por uma pessoa negra vestida como uma escrava, você pode se hospedar na Fazenda Santa Eufrásia, em Vassouras, a 111 km do centro do Rio.

Foto: Igor Alecsander

2_ Abin tem megabanco de dados sobre movimentos sociais

The Intercept Brasil revela com exclusividade que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) transformaram o GEO-PR, um megabanco de dados criado durante a gestão Lula na Presidência da República com o propósito de proteger territórios indígenas, em uma poderosa ferramenta de vigilância de movimentos sociais, a maior conhecida até o momento.

3_ Conheça os bilionários convidados para “reformar” a educação brasileira de acordo com sua ideologia 

Em oposição à total surdez para com os estudantes, os parlamentares são todos ouvidos para outro grupo: os representantes de bilionários presidentes de fundações educacionais. Mas, qual o problema em se ter bilionários na mesa de debate? A princípio, nenhum. Na prática, além do fato de que não existe almoço grátis, é necessário observar o tipo de educação que esses grupos vislumbram como o “padrão de qualidade”.

4_ Ato pró-Trump e anti-Clinton mostra como a direita brasileira está confusa sobre a política dos EUA 

Em São Paulo, manifestantes se reuniram para mostrar apoio à candidatura de Donald Trump e fazer acusações contra sua oponente, Hillary Clinton.

5_ Estudantes pedem diálogo e governo responde com ameaças no debate da reforma do ensino médio

A MP causou rebuliço por alterar o formato do ensino médio. Entre as mudanças mais drásticas, o currículo — que atualmente se compõe em três anos comuns a todos no ensino médio regular — será dividido em ciclo básico (de um ano e meio, com matérias de todas as áreas) e ciclo de especialização.

6 _ Não, a PEC do Teto não é “o melhor que temos para hoje” – existem alternativas 

Em meio a crise, da crise, a única saída apresentada pelo governo, e constantemente cobrada pelo ministro da fazenda Henrique Meirelles, é a efetivação do Projeto de Emenda Constitucional 241, que congelaria os gastos do Estado por 20 anos. E se eles estiverem errado? E se isso que nos apresentam como “o melhor que temos para hoje” não for exatamente o melhor para todos?

7 _ Para o “único” liberal brasileiro, o Brasil não tem liberais de verdade

Ser liberal hoje está na moda no Brasil – mas meu Amigo Liberal não estava exatamente feliz com isso. O que segue é uma transcrição parcial do que ele disse entre uma dúzia de chopes, algum destilado e o café (editei os palavrões e alusões demasiadamente ofensivas).

 8 _ Muçulmanos brasileiros encaram perseguição e preconceito crescentes sob novo governo 

No Brasil, muçulmanos têm visto o preconceito da própria população crescer, mas sentem-se perseguidos também pelas forças de segurança do país.

9 _ Armas defeituosas da Taurus matam impunemente, blindadas pelo lobby e pelo Exército

Policiais civis e militares de todos os estados são reféns do armamento da brasileira Forjas Taurus, maior fabricante de armas da América Latina, que, há anos, vem sendo denunciada por disparos acidentais. Beneficiados por uma legislação que abre portas para o monopólio da empresa, instituições policiais não conseguem adquirir outros armamentos. Enquanto isso, as armas já fizeram mais de 50 vítimas só no Brasil.

10 _ CEO de Pokémon Go já era mestre em capturar seus dados muito antes do jogo 

A adoção meteórica e em larga escala do Pokémon Go se deve ao uso agressivo de informações pessoais de usuários. Ao contrário de Twitter, Facebook e Netflix, o aplicativo requer acesso ininterrupto a sua localização e câmera (um verdadeiro estoque de dados sigilosos de usuários), conforme colocou um órgão fiscalizador de privacidade em carta aos órgãos federais.

11_ O fenômeno José Serra 

Denúncia contra o Serra na capa da Folha? Numa manchete com letras garrafais? Sim, não era uma miragem. Porém notícias ruins sobre o Serra são como vídeos no Snapchat: duram 24 horas.

Brazil's presidential candidate Jose Serra (L) of the Social Democratic Party of Brazil protects his head after being "knocked silly" by a thrown object, during a rally in Campo Grande, 55 km from Rio de Janeiro's downtown, on October 20, 2010. Serra and rival Dilma Rousseff of the ruling Workers' Party, will face on October 31 in the run-off election. AFP PHOTO/Cesar Da Silva (Photo credit should read CESAR DA SILVA/AFP/Getty Images)

Foto: AFP/Getty Images

12 _ Folha comete fraude jornalística com pesquisa manipulada visando alavancar Temer 

Tornou-se evidente que, seja por desonestidade ou incompetência extrema, a  Folha cometeu uma fraude jornalística.