Em uma fuga em massa, a Câmara e Senado foram esvaziados às pressas após as revelações da lista de Fachin. O dia seguinte à divulgação dos 108 nomes delatados, transformou Brasília em um deserto. O silêncio parece ser a máxima entre os denunciados, porém alguns resolveram comentar as acusações, além das notas oficiais. 

A lista conta com 98 nomes alvos de inquéritos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF). Entre os investigados estão nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas.

Entre os que se pronunciaram, está Aécio Neves (PSDB), que acumula cinco inquéritos. Em nota, o senador diz que as mentiras serão desmascaradas. Já o deputado Paulinho da Força, não falou em defesa do seu nome e tratou a questão em clima de brincadeira. Para ele, ser citado é ser prestigiado. Os dois acusados chegaram a participar de manifestações anti-corrupcão.

Confira algumas das declarações divulgadas até o momento:

“Considero que, assim, será possível desmascarar as mentiras e demonstrar a absoluta correção de minha conduta.”  – Senador Aécio Neves (PSDB)  

“Quem não apareceu está sendo considerado desprestigiado.” – Deputado Paulinho da Força (SD)

Tenho absoluta convicção de que esse procedimento será arquivado porque, simplesmente, não tenho nada a ver com a Lava Jato.”– Deputado Jutahy Magalhães Júnior (PSDB)

“Tenho plena convicção de que meu nome e do meu marido estarão entre os inocentados porque nunca participei ou aceitei, em mais 20 anos de vida pública, de qualquer ato de corrupção.”– Senadora Kátia Abreu (PMDB)

“Nunca me envolvi em atividade ilegais; já fui citado anteriormente e o resultado foi o arquivamento por completa ausência de fatos. Tenho convicção que o destino deste novo inquérito será o mesmo.” – Senador Lindbergh Farias (PT)

“Estar na lista não é condenação de ninguém. Não vamos entrar o ôba-ôba de sempre.”Ex-deputado Paulo Rubem Santiago Ferreira (PSOL)

“Sobre o envolvimento do meu nome e do governador Tião Viana, não há nenhuma denúncia de corrupção contra nós, mas questionamentos sobre a arrecadação da campanha em 2010.” – Senador Jorge Viana (PT)

“Estou tranquilo e convicto de que procedimento vai ser ser arquivado.” – Deputado José Carlos Aleluia (DEM)

“Causa-me constrangimento ter minha honra e dignidade maculadas, numa situação na qual não sei sequer do que sou acusado.” – Ministro da agricultura Blairo Maggi (PP)

“Estou com a minha consciência absolutamente tranquila, ela não me acusa de ter feito qualquer ato ilícito.” – Senador Dalírio Beber ( PSDB)

“Todo mundo que disputou a eleição ou está ou estará na lista.”– Senador Romero Jucá ( PMDB)