O presidente Michel Temer segue alcançando altos índices. Entre os “desaplaudidos” da política nacional, está no topo do pódio com 93% de reprovação. Apenas 3% da população aprova o governo. O restante preferiu não opinar. Os números são da pesquisa Ipsos, divulgada nesta quinta-feira (29). Mas a disputa no ranking dos mais odiados foi acirrada. Na sequência, estão Eduardo Cunha (92%) e Aécio Neves (91%).

Com margem de erro de 3%, a pesquisa Pulso Brasil foi realizada com base na primeira quinzena de junho e analisou a atuação de 32 personalidades públicas e políticas. Os números apresentam os impactos da delação da JBS na política nacional: Aécio Neves teve alta de 14 pontos percentuais no índice de desaprovação sobre a edição anterior.

Além de perguntar a 1.200 pessoas se aprovam a conduta desses 32 nomes, a pesquisa também traz a avaliação do governo Temer, que entra para a História como o presidente mais mal avaliado. Somente 2% qualificam a gestão como boa ou ótima. Já 84% dos brasileiros classificam o governo como ruim ou péssimo. O maior índice registrado até então foi o de Dilma Rousseff que amargou 82% em setembro de 2015.

O primeiro e o segundo colocados na pesquisa sobre a eleição presidencial de 2018, divulgada nesta segunda-feira (26) pelo DataFolha, Lula e Jair Bolsonaro, também foram avaliados. Lula – que tem 30% das intenções de voto para 2018 – possui 68% de reprovação e 28% de aprovação. Já Bolsonaro, que aparece em segundo lugar na corrida presidencial com 16%, tem 54% de reprovação e 14% de aprovação.

Nomes ligados a Michel Temer como Rodrigo Maia, Romero Jucá e Gilmar Mendes também tiveram aprovação muito baixa:  3%; 1% e 4% respectivamente. A quantidade de pessoas que não sabiam opinar sobre eles ou não os conheciam, porém, foi alta: 33%; 35% e 38%.

Já com as melhores avaliações estão o juiz Sérgio Moro, o apresentador Luciano Huck e o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa com 63%, 44% e 42% de aceitação, respectivamente.

A popularidade de Sérgio Moro é reflexo da confiança do brasileiro na Operação Lava Jato. Entre os entrevistados, 79% acreditam que as investigações podem ajudar a transformar o Brasil num país mais sério.

Os dados coletados também apontam que 95% dos brasileiros acreditam que o Brasil segue no rumo errado. O índice é maior que o registrado na fase pré-impeachment, quando o descontentamento do brasileiro chegou a 94%.

Diante deste cenário, onde estão os 2% que classificam a gestão Temer como boa ou ótima? Onde estão os 3% que o aprovam? Se alguém conhecer, favor enviar o contato no nosso inbox.