“Eu tô tranquilão” já era, em abril de 2010, um clássico consagrado não só no mundo do funk carioca como também Brasil afora. Sete anos depois, porém, virou motivo de preocupação e dor de cabeça para uma admiradora e parlamentar que anda no centro das atenções em Brasília. Na última terça (15), o juiz Luiz Alberto de Moraes Júnior, da 2ª Vara de Fazenda Pública de Roraima, determinou o bloqueio de bens da deputada Shéridan (PSDB-RR). O motivo? Ter usado um avião do governo estadual para o transporte do cantor Mc Sapão, autor e intérprete, para cantar no seu aniversário. O custo da extravagância, estimado pelo Ministério Público: R$ 39,5 mil.

Ex-primeira-dama do estado em Roraima, Shéridan Esterfany é a relatora de uma das PECs que tratam da reforma política e deve ser discutida na próxima semana. Os temas principais são a cláusula de desempenho para as legendas e o veto às coligações em eleições proporcionais. Mesmo ausente da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, seu nome ganhou atenção por um episódio ofensivo: quando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ) a chamou, um deputado ainda não identificado gritou “Gostosa!”. A deputada pediu à direção da Casa que apure de quem partiu a atitude machista.  

Decisão também atinge ex-marido 

Em fevereiro deste ano, a desembargadora Elaine Bianchi, do TJ de Roraima, já tinha atendido ao pedido do Ministério Público em segunda instância e concedido a liminar que bloqueia os bens de Shéridan. A decisão, porém, só foi oficializada pelo juiz Luiz Alberto de Moraes Júnior, titular do caso na primeira instância, nesta semana.

O ex-marido e ex-governador de Roraima José de Anchieta Júnior e Edison Prola, ex-secretário da Casa Militar de Roraima, também tiveram seus bens bloqueados. Durante os mandatos de José Júnior, de 2007 a 2014, Shéridan ocupou o cargo de secretária de Promoção Humana e Desenvolvimento.

Na ação que culminou com a indisponibilidade dos bens, o MP afirma que o próprio Mc Sapão confirmou que foi a Roraima para o show:

“(Os acusados) valendo-se da condição de agentes públicos, utilizaram aeronave do Governo do Estado de Roraima para fins particulares, qual seja, transportar o artista MC Sapão, contratado para animar a festa de aniversário da então primeira-dama Shéridan de Anchieta, de Boa Vista para o Rio de Janeiro, praticando, assim, atos de improbidade administrativa que importam em prejuízo ao erário e atentam contra os princípios da Administração Pública”, afirmou o promotor Luiz Antônio Araújo de Souza.

Inquérito no STF

No Supremo Tribunal Federal (STF) Shéridan é investigada no inquérito 3975. A ação averigua um suposto favorecimento a eleitores de Roraima, como pagamento de multas de trânsito e por ter incluindo eleitores em pagamentos sociais do governo.

A deputada não esconde de quem é aliada na política. Em sua conta no Instagram, é vista tanto ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, quanto do virtual candidato a presidente em 2018, João Dória, ambos seus colegas de partido (PSDB).

No Congresso, está alinhadas a pautas como a defesa por salários igualitários para homens e mulheres, demarcação de terras indígenas e contra o feminicídio.

Shéridan não respondeu aos pedidos para falar a The Intercept Brasil sobre a decisão da Justiça de Roraima até a publicação da reportagem.