Candidato consolidado em segundo lugar nas pesquisas eleitorais para presidente em 2018, Jair Bolsonaro não tem certeza de qual partido o levará às urnas. Atualmente, ele é filiado ao Partido Social Cristão (PSC), que já tem outro nome para disputar o pleito — Paulo Rabello de Castro, atual presidente do BNDES.

Em entrevista ao site Crítica Nacional, o deputado afirmou, que “estava noivo do Patriota, mas voltou à situação de namoro”. Ele teria exigido mudanças nos nomes que controlam estados considerados como “chave”, em especial, Minas Gerais, mas até agora não foi atendido. Por isso, a negociação voltou uma casa.

Após o jornal O Estado de S. Paulo noticiar na manhã desta quinta-feira (21) que o militar estava negociando com o PR e com o PSL sua inscrição para disputar a eleição ao Planalto, a resposta do PSL foi taxativa: “Bolsonaro representa o autoritarismo e a intolerância tanto na economia quanto nos costumes, sendo a antítese completa das nossas ideias”.

Leia abaixo a nota completa publicada pelo partido:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

PSL-Livres descarta filiação de Bolsonaro

  1. Não procedem, de forma alguma, as notícias de que o deputado federal Jair Bolsonaro possa se filiar ao PSL.
  2. Após solicitação feita por Bolsonaro, o presidente nacional do PSL e também deputado federal, Luciano Bivar, recebeu-o em reunião.
  3. Em função das evidentes e conhecidas divergências de pensamento, o projeto político de Jair Bolsonaro é absolutamente incompatível com os ideais do LIVRES e o profundo processo de renovação política com o qual o PSL está inteiramente comprometido.
  4. Bolsonaro representa o autoritarismo e a intolerância tanto na economia quanto nos costumes, sendo a antítese completa das nossas ideias.

[ênfase adicionada pela reportagem]