Enquanto a prefeitura do Rio, comandada pelo bispo licenciado da Igreja Universal, Marcelo Crivella, segue sua tortuosa relação com o Carnaval, reduzindo verbas de escolas de samba e dificultando a passagem de blocos pelas ruas, um evento religioso inédito vai ser realizado na cidade. A Igreja Bola de Neve Santos levará pela primeira vez para fora do litoral paulista o “Evangelismo de carnaval”. O bloco se apresenta na segunda-feira de Carnaval, na orla de Copacabana.

Se o evento religioso ocupará um dos grandes cartões postais da cidade, a prefeitura do Rio prepara um “blocódromo” na região do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, que vem gerando diversas críticas no mundo do samba.

“Direção de Deus”

No site do evento evangélico, os abadás, chamados de “vestes de louvor”, para acompanhar o bloco custam entre R$ 30 e R$ 40. A página informa que a participação é gratuita, “mas ter a veste de louvor com o tema do ano é fundamental”. O samba-enredo é “Cristo é o Maná (alimento divino)”. Segundo os organizadores, o evento vai ser realizado exclusivamente no Rio este ano “por uma direção de Deus e do Ap. Rina (Rinaldo Seixas, líder da igreja)”.

No vídeo de promoção, que termina convocando os fiéis para comprar as vestes de louvor, um narrador, representando alguma força do mal, diz que fez no Rio a sua festa: o Carnaval. Com a chegada do bloco religioso na cidade, porém, “a luz brilhou sobre as trevas”:

“Eu escolhi uma cidade. Era tua, né? Ela era a cidade maravilhosa. Mas eu escolhi essa cidade. Era o povo mais extravagante do Brasil. E eu extraviei eles. E eu fiz a minha festa… O Carnaval. Tudo estava sobre (sic) o controle, até que um dia a luz brilhou nas trevas. Eu escutei o som de tambores, que não eram os meus. Eram 300. E havia um povo! Eles brilhavam como o sol da Justiça! E eles entraram ali! A luz brilhou sobre as trevas! E eu tive que recolher o meu projeto… “

No vídeo, a bateria percorre diversos pontos da cidade, como a Lapa e a orla, assim como a Rocinha. De acordo com a programação divulgada, depois do desfile em Copacabana, que começará ao meio-dia segunda-feira de carnaval, haverá um show com cantores gospel – chamados de adoradores – na quadra da escola de samba Acadêmicos da Rocinha.

As 11 edições anteriores foram realizadas em Santos e São Vicente, no litoral paulistano. Em 2016, por exemplo, cerca de 18 mil pessoas percorreram os dez quilômetros da orla santista atrás da bateria do bloco religioso. Por lá, uma lei aprovada em 2014 na Câmara de Vereadores institucionalizou o sábado de carnaval como o “Dia do Evangelismo de Carnaval Bola de Neve”.

O site do “Evangelismo de carnaval” alerta que todas as igrejas já estão ocupadas com os ônibus da bateria e pessoal de organização do evento e dá orientações a respeito de hotéis na cidade para os fiéis se hospedarem.

Liderada pelo apóstolo Rina, a Bola de Neve foi fundada no fim da década de 1990 e é conhecida como a “igreja dos surfistas”. Celebridades como a modelo Monique Evans e o cantor Rodolfo Abrantes, ex-vocalista da banda Raimundos, já passaram por seus cultos. Em 2013, a igreja esteve envolvida em uma polêmica após o lançamento de um livro escrito por um ex-seguidor denunciando o conservadorismo da igreja – que tentou impedir  a divulgação com uma ação na Justiça.