O empresário piauiense Luciano Gil Mendes Coelho, terceiro homem identificado no vídeo em que brasileiros aparecem assediando uma mulher na Rússia, falou com The Intercept Brasil. Por WhatsApp, ele evitou se responsabilizar pelo caso, tratou a situação como uma brincadeira e optou pela desculpa mais fácil: o álcool. “Toda mulher tem um pedido de desculpas por minha parte, o álcool a mais aconteceu de cometer isso”, escreveu.

No vídeo, um grupo de seis torcedores brasileiros aparece ao redor de uma mulher de nacionalidade não identificada, que demonstra não compreender o português. Eles pulam, riem e gritam, “Essa é bem rosinha, essa é bem rosinha. Buceta rosa, buceta rosa!”.

Coelho, de camiseta preta à direita: "Eu estava chegando naquela brincadeira e não conhecia ninguém ali".

Coelho, de camiseta preta à direita: “Eu estava chegando naquela brincadeira e não conhecia ninguém ali”.

Natural da cidade de Jaicós, a 364 km de Teresina, o empresário está vestindo uma camiseta preta e segura o celular na mão, como se estivesse fazendo uma selfie ou gravando um vídeo. Perguntado se viajou para assistir à Copa do Mundo com os demais homens que aparecem no vídeo, ele respondeu que “estava chegando naquela brincadeira e não conhecia ninguém”.

Coelho não se referiu em nenhum momento a mulher que, sem saber o que dizia, repetiu as frases, só descobrindo depois o que cantou, e disse estar sofrendo ameaças de diversas pessoas devido à repercussão das imagens. Questionado sobre quem o estaria ameaçando, também não respondeu.

O problema, diz, não seria o constrangimento a que submeteram a mulher no vídeo, mas a cena ter sido viralizada pela mídia.”A imprensa ajuda espalhando o ódio”, reclamou.

Luciano seguiu com a lista de desculpas furadas e classificou a situação toda com uma “tempestade em copo d’água”. Nem  a corrupção escapou.

“No Brasil estamos com problema de educação, saúde, corrupção e vão fazer isso com a gente. Estão instigando os russos contra nós”, disse ao UOL, esquecendo-se do seu próprio passado na pátria amada.

Coelho é ex-inspetor do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI) e foi preso em uma operação que desarticulou esquema de desvio de dinheiro público por meio da fraude em licitações na prefeitura de Araripina (PE), em maio de 2015. Através da análise dos quadros societários das empresas licitantes e vendedoras, ficou comprovado que as mesmas possuíam empregados domésticos e parentes dos principais envolvidos no esquema.

“Somos pais de família, trabalhadores e vocês estão acabando com a vida da gente… Quem está brincando carnaval exagera um pouquinho na bebida e às vezes passa do ponto. Peço desculpas às mulheres que possam ter se sentido ofendidas, mas estão transformando um copo d’água em uma tempestade”, continuou, ainda em entrevista ao UOL. “Só ganhou essa conotação porque aconteceu aqui na Rússia, mas se fosse na favela ou no carnaval, seria considerado normal.”

Outros Identificados

O primeiro identificado foi o ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE), Diego Valença Jatobá, que teve pedido de bloqueio de conta por dever pensão alimentícia e foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco por irregularidade em contratos da secretaria.

O segundo homem reconhecido no vídeo é Eduardo Nunes, policial militar em Lages, em Santa Catarina. Em nota, a Polícia Militar afirma que a corporação abrirá um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta irregular do militar.

O empresário Luciano Gil Mendes Coelho foi reconhecido por moradores de Jaicós e teve a identidade revelada pelo Portal O DIA, do Piauí.