Durante uma audiência no Congresso, a deputada Alexandria Ocasio-Cortez perguntou a Mark Zuckerberg sobre os “jantares que estão sendo realizados com figuras da extrema-direita”.

Isso foi terrivelmente injusto com Mark, e Ocasio-Cortez deve a ele um pedido de desculpas. Sim, como o Politico informou recentemente, ele vem realizando diversos encontros particulares com figuras proeminentes da mídia de direita. Segundo o artigo, esses nomes incluem Tucker Carlson, da Fox News; o apresentador de talk show Hugh Hewitt; Ben Shapiro; o ex-editor do Free Beacon Matt Continetti e Brent Bozell, fundador do Media Research Center, que existe “para expor e neutralizar o braço de propaganda da esquerda: a mídia nacional norte-americana”.

Mas isso não é por Mark estar cultivando direitistas especificamente. Pelo contrário, como explicou no Facebook, ele adora jantar com “muitas pessoas de todo o espectro sobre várias questões diferentes o tempo todo”.

Zuckerberg-FB-1572023222-1572550138

Legenda: Saíram notícias hoje sobre jantares que eu tive com políticos, mídia e pensadores conservadores. Para ser claro, eu tenho jantares com muitas pessoas de todo o espectro sobre várias questões diferentes o tempo todo. Conhecer novas pessoas e ouvir vários pontos de vista faz parte do aprendizado. Se você ainda não experimentou, sugiro que faça isso!

Screenshot: The Intercept

Então, obviamente, considerando a sede de Mark por conhecer novas pessoas, por ouvir uma ampla variedade de pontos de vista e pela alegria de aprender, ele também está constantemente saindo com proeminentes esquerdistas. Tudo o que resta agora é documentar isso.

Questionado a citar alguns desses esquerdistas, um porta-voz do Facebook respondeu: “Não temos mais nada a compartilhar sobre esse assunto além do que Mark postou”.

Questionado a citar alguns desses esquerdistas, um porta-voz do Facebook respondeu: “Não temos mais nada a compartilhar sobre esse assunto além do que Mark postou”.

Bem, tudo bem. Mark provavelmente é sensível à privacidade de seus companheiros de jantar de esquerda e não quer mencioná-los sem falar com eles primeiro.

Mas podemos supor que Mark esteja se reunindo com pessoas do The Nation, fundado em 1865 e o carro-chefe dos veículos de notícias progressistas dos Estados Unidos. Estranhamente, no entanto, o editor da Nation, D. D. Guttenplan, diz que, embora adorasse compartilhar uma refeição com Mark “para discutir as ácidas opiniões da The Nation sobre política e cultura – especialmente aquelas dirigidas ao Facebook”, ele nunca foi convidado.

Também seria natural que Mark jantasse com os principais nomes do Mother Jones, especialmente por eles estarem bem na área da baía de São Francisco, perto do Facebook, e ganharem muitos prêmios com seu jornalismo progressista. No entanto, isso também não parece ter acontecido.

Mas The Nation e Mother Jones provavelmente não são radicais o suficiente para Mark, e ele quer conversar com socialistas comprometidos com uma crítica abrangente da história racial do capitalismo americano. Estranhamente, porém, Margaret Kimberley, cofundadora do Black Agenda Report, afirma que ela também não participou de um jantar com ele. Kimberley acrescenta: “Não sei de nenhum esquerdista entre os poucos escolhidos. Por outro lado, não temos o selo de aprovação do Conselho do Atlântico, e esse é o ponto”.

Seth Ackerman, editor executivo da Jacobin, a intensa e elogiada revista socialista, também afirma que não andou compartilhando refeições com Mark, mas reconhece: “eu vi clipes de sua hipnótica transmissão ao vivo defumando carne”.

Will Menaker, um dos apresentadores do popular podcast Chapo Trap House, diz que nunca recebeu um convite de Mark. Ainda que, ao ser pressionado, tenha admitido: “eu não checo o e-mail com muita frequência”.

Depois, tem o Current Affairs, uma jovem revista de esquerda com sede em Nova Orleans. “Em uma estranha coincidência”, afirma o editor Nathan Robinson, “todos os socialistas com quem falei não receberam os convites. Eu culpo os correios”. (Robinson previsivelmente não observa que os correios, a organização que falhou com ele, é uma instituição socialista.)

Finalmente, Jim Naureckas, da Fairness & Accuracy in Reporting – uma espécie de contrapartida de esquerda ao Media Research Center de Bozell –, diz que eles nunca receberam um convite, apesar de terem verificado o filtro de spam.

Por outro lado, Amy Goodman, apresentadora do esquerdista “Democracy Now!”, não respondeu a um pedido de comentário. Suspeito!

”Todos os socialistas com quem falei não receberam os convites.”

O que podemos dizer sobre isso?

Os cínicos podem dizer que Zuckerberg, a quinta pessoa mais rica da Terra e chefe de um gigantesco conglomerado internacional, é amplamente solidário ao direito corporativo. De acordo com uma análise da Bloomberg News, a legislação fiscal republicana de 2017 economizou US$ 8,3 bilhões ao Facebook em apenas um ano.

Os mesmos cínicos podem mencionar que o primeiro investidor externo do Facebook foi Peter Thiel, que agora atua no conselho da empresa – e é um dos dois membros do comitê de remuneração e governança. Thiel, um franco defensor do presidente Donald Trump, financiou secretamente um processo que destruiu o canal de notícias Gawker.

Esses cínicos extremos observariam que, apesar das constantes acusações da mídia de direita de que o Facebook “silencia” os conservadores, a mídia de direita é extremamente popular no Facebook. Diriam que isso não é uma surpresa, já que o vice-presidente de políticas públicas dos EUA no Facebook é Joel Kaplan, ex-assessor de George W. Bush e atual membro do conselho do museu presidencial de Bush. De acordo com o Wall Street Journal, Kaplan “exerceu sua influência para adiar ou matar projetos que arriscam incomodar conservadores”.

Mas a explicação mais provável aqui é que Mark, com sua intensa busca por conhecimento, de fato compartilhou refeições revigorantes com esses indivíduos e organizações de esquerda, e todos simplesmente se esqueceram. Eles são muito ocupados, é fácil entender como isso aconteceria.

Outra explicação plausível é que Mark acidentalmente enviou os convites para homônimos. Por exemplo, ele pode ter jantado e aprendido muito com Katrina vanden Heuvel de Tempe, Arizona.

A única alternativa é acreditar, como diz Naureckas, que grandes empresas de mídia como o Facebook detestam ser atacadas pela esquerda, mas “não se importam de serem atacadas pela direita, porque a direita é fundamentalmente a favor do tipo de poder corporativo que elas representam”. Também significaria acreditar que Zuckerberg, uma das pessoas mais poderosas deste planeta, é um mentiroso sem-vergonha.