Foto: Priscilla Buhr/JC ImagemData: 27-08-2012Assunto: CADERNO C - Na foto destaque para a repórter especial do Jornal do Commercio Fabiana Moraes.

Foto: Priscilla Buhr

A jornalista, escritora e professora Fabiana Moraes é a nova colunista do The Intercept Brasil. Ela se junta a João Filho e Cecilia Olliveira como articulista fixa do site, ocupando a vaga que foi anteriormente preenchida, respectivamente, por Mário Magalhães e Rosana Pinheiro-Machado. Fabiana estreia hoje com o texto “Por outra democracia: esta não protege a maioria da população brasileira”, onde evidencia – com uma mistura única de experiências pessoais, caldo sociológico e olho de repórter – que nosso sistema precisa ser refeito:

“DEMOCRACIA: quando eu finalmente deixei de tatear a palavra, descobri que ela não era para mim. Essa clareza aconteceu enquanto eu via aqueles corpos costurados nos jornais e revistas; enquanto andava pendurada em ônibus lotados saídos da periferia; enquanto meu pai, fotografando a elite recifense, ainda contava tostões; enquanto a minha mãe, que trabalhava há tanto tempo em um hotel de luxo, se mudava para uma casa sem reboco, janelas e parte do teto.”

Doutora em sociologia, Fabiana é vencedora, como repórter, de três prêmios Esso com as reportagens A Vida Mambembe, Os Sertões e O Nascimento de Joicy. Ganhou também o Prêmio Petrobras de Jornalismo com a reportagem Casa Grande e Senzala, o Prêmio Embratel  com a reportagem Quase Brancos, Quase Negros e ainda os prêmios Cristina Tavares (com as reportagens Os Sertões; Nabuco em Pretos e Brancos e A História de Mim) e Comissão Europeia de Turismo (caderno especial Mares sem Fim). “Pra mim é uma honra e um saravá fazer jornalismo com quem honra a caneta Bic (coitada, né?)”, me disse ela.

Como escritora, Fabiana lançou cinco livros: Os Sertões (Cepe, 2010), Nabuco em Pretos e Brancos (Massangana, 2012), No País do Racismo Institucional (Ministério Público de Pernambuco, 2013), O Nascimento de Joicy (Arquipélago Editorial, 2015) e Jormard Muniz de Britto – professor em transe (Cepe, 2017). Graças a sua profícua carreira, foi finalista do Prêmio Jabuti por três vezes.

Fabiana Moraes é professora do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco. Tem pesquisas acadêmicas voltadas para a questão da análise sobre pobreza e da celebrificação do cotidiano, e estuda a relação entre jornalismo, colonialidade, ativismo e subjetividade.

É conselheira da Agência Pública de Jornalismo e da É Nóis. Foi repórter especial do Jornal do Commercio e articulista da revista piauí.

Um pouco mais de seu trabalho pode ser apreciado aqui e aqui.

Ela escreverá quinzenalmente, e também gravará vídeos.

Clique aqui e leia agora a primeira coluna de Fabiana Moraes para o Intercept.