Claudelice é ativista florestal e coordena o Projeto de Assentamento Praia-Alta Piranheira, que protege o restinho de floresta que existe na região de Marabá, no sudeste do Pará. Em 2011, a ativista teve o irmão e a cunhada assassinados numa emboscada de pistoleiros. O casal denunciava a extração ilegal de madeira na região. Hoje, Claudelice atua no Instituto Zé Claudio e Maria, que refloresta a área do assentamento com mata nativa.

Correção: 30 de setembro, 19h40

Uma versão anterior desse vídeo creditava erroneamente as imagens de 0:38 a 0:48 ao Greenpeace. As imagens deste trecho são de autoria de Felipe Milanez, parte do documentário “Toxic Amazon”. A informação foi corrigida.
Atualização: 8 de outubro, 18h20
O vídeo foi editado novamente para excluir as imagens creditadas à Felipe Milanez em razão do autor não ter concedido autorização para sua utilização.